quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Faz silêncio...

Amor, entra por essa porta, vem de mansinho, senta-te nesse banco e não digas nada. Não fales, não penses, não te mexas, fica bem quieto, respira apenas. Respira fundo e olha-me nos olhos, não desvies o olhar, tenho saudades do brilho desses teus olhos, conta me contos de fadas como quando era ''pequenina''. Não penses no passado, não tentes perceber o que se está a passar, aproveita simplesmente o momento, deixa-te levar pelo silêncio, pelo calor desta sala, não penses no que fomos, não penses no que és, não penses simplesmente, limita-te a respirar. Pára a imaginação, não pintes o que se estará a passar ali. Deixa-me ouvir o bater do teu coração. Não penses em ninguém, foca-te na situação. Esquece os demais, esquece o que passámos, esquece o mundo. Observa a lágrima que me caiu pela cara abaixo, vê como é transparente, sem dor, sem mazelas, olha bem de perto, não tenhas medo, não estou a chorar por algo me doer, não estou a chorar por tristeza.
Eu vou sair por aquela porta, pela qual tu entraste, não te vou tocar, vou levar a chave, aquela que está de cima daquela mesa, vou apenas limpar o meu rosto, erguer a cabeça e sair, e trancar a porta para que jamais caia na tentação de a abrir para regressar. Vou apenas, já do lado de fora, escrever um bilhete que diga "até sempre, obrigada e sabes que te amo" e vou mandá-lo por baixo da porta para o outro lado, tu vais levantar-te e vais lê-lo, não vais chorar. Eu vou embora, vou para outro lugar, um lugar bem longe de tudo o que até agora conheci, vais apenas reler o bilhete e guardá-lo para sempre na tua memória, e abandonarás a sala, irás tirá-la do teu pensamento, pois ela já tem o cheiro do meu perfume.
Daqui em diante vais ser feliz com alguém que te consiga fazer sentir bem, vais concretizar os teus sonhos. Não vais voltar ao passado, não vais voltar a ser quem eras naquela altura, não te quero ver a sofrer. Segue com a tua vida, mas não te esqueças de mim.
Estás obrigado a ser feliz ok?
MariaJoão

terça-feira, 30 de agosto de 2011

É a vida ;)

A felicidade depende de ti, a tua vida és tu que a moldas. Dá-te bem com a vida e ela dar-se-à bem contigo, sorri mesmo que queiras chorar, sê sempre sincero, não tenhas medo de errar, grita aos céus o que te vai na alma, solta a voz que há em ti, corre pelo campo. Não tenhas medo de mudar, não tenhas medo de seres tu próprio.
Não vivas dependente de ninguém, não deixes que ninguém te faça desistir, ninguém merece o teu sofrimento, não te envolvas demasiado.
Vive ao máximo a tua vida, não penses demasiado no passado, encara o futuro com algo positivo, faz o que gostas, não deixes nada por dizer, nem nada por fazer, vive intensamente, não tenhas medo de ser diferente, não tenhas medo de expor as tuas ideias, os teus projectos, não deixes de sonhar.
A cima de tudo acredita em ti, no que pensas, no que sonhas, nunca te rebaixes a ninguém, tu não és mais nem menos que os outros, ergue sempre a cabeça, levanta-te sempre quando caíres mesmo que todos te deitem abaixo!
A vida é aquilo que fazes dela! :)

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

A música da minha vida

Tara Perdida
Pernas Pró Ar


Atitudes, formas de levar veneno
Onde não há
Ser honesto e ter sempre a razão
Tem cuidado
Deixo a porta aberta
Uma sombra a meditar
A confissão que se esconde
Sem remorsos
Quero o tempo certo
Qualidade é subtracção
A presença é condenável
Não vou dar-te a mão
E de pernas pró ar
E quem ficar, ficou
Mas tu, não vais ficar
Neste barco
Neste barco
Abre a porta da saída
Segue em frente
E não penses em voltar
Ninguém te quer ver
Vê a história de outra forma
A raiva é maior, ao deitar
E tu vais perder
Negligência das loucuras
Mas no fundo há visão
Aparência de um discurso em vão
Inadaptado
Deixo a porta aberta
Uma sombra a meditar
A mudança é confrontada
Sem remorsos
E de pernas pró ar
E quem ficar, ficou
Mas tu, não vais ficar
Neste barco
Neste barco
Neste barco
Abre a porta da saída
Segue em frente
E não penses em voltar
Ninguém te quer ver
Vê a história de outra forma
A raiva é maior, ao deitar
E tu, vais perder
E de pernas pró ar
E quem ficar, ficou
Mas tu, não vais ficar
Neste barco
E de pernas pró ar
E quem ficar, ficou
Mas tu, não vais ficar
Neste barco
Neste barco
Neste barco
Podem ouvir aqui

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Frase nº3

«Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.»
Carlos Drummond de Andrade

A nossa felicidade não deve depender de uma coisa ou de um ser, não deve ser atríbuida a um certo e determinado acontecimento, deve ser algo constante e presente venha o que vier, haja o que houver. Deve haver ser um sorriso, uma gargalhada, aconteça o que acontecer. Porque não devemos ter um motivo para sorrir, ou para ser feliz...mas sim motivos para não chorar e para não estar tristes. A felicidade é um estado de espírito, dos mais saudáveis e agradáveis de sentir. É algo que nos faz acordar bem, que nos faz viver bem e aproveitar cada momento ao máximo tirando sempre algo positivo, mesmo das coisas piores ou menos boas. Devemos ser feliz não interessa se está a chover, se está a trovejar, se há alguém que nos olha com mau olhar, se alguém está chateado. Não devemos ser feliz por isto ou por aquilo, mas porque sim, porque é bom. Faz o que gostas, faz coisas que te façam sentir bem, sem teres medo do que os outros vão pensar. Canta, dança, escreve. Sorri mesmo que não tenhas razão, não irás parecer uma tolinha, mas irás parecer o que realmente és, ALGUÉM FELIZ! Aproveita os momentos ao máximo e tira o melhor de todos.
De alguém que é feliz,
MariaJoão.