sábado, 23 de abril de 2011

Saudades daquela felicidade

Tenho saudades dos tempos em que era pequena...Aqueles tempos em que nínguem levava nada a mal. Em que tudo não passava de um lindo conto-de-fadas. Em que era ingénua e não havia responsabilidades.
Saudades de quando passava na rua e as pessoas sorriam e diziam ''Uau como ela está tão crescida''....de quando me pegavam ao colo e diziam ''Ai, és tão parecida com a tua mãe mas dás ares do teu bisavô Correia''. Tenho saudades dos tempos em que sorria livremente sem um dente ou dois, de quando era aquela ''menina bonita''.
A infância já lá vai, mas tenho tantas saudades...correr pelo campo, brincar às bonecas...nessa altura os problemas era simplesmentes nulos. Agora cresci e não há como voltar atrás, olho-me ao espelho e penso ''Como o tempo passou...''.
Agora já não há fadas, nem Pai Natal. Já não existe aquela nostalgia de antes, já não há aquela magia...
Como os anos passam, e como tudo muda...Já não passam de doces lembranças. Como era bom ser pequenina... Mas sei que essa criança ainda está dentro de mim! Procurem a criança que há dentro de vós e soltem-na.
Bons velhos tempos....
Com o doce sabor da saudade,
MariaJoão


«O amor é uma força, uma energia, que se manifesta na alma como um sentimento de lembrança de algo que a alma já teve, mas perdeu.»