segunda-feira, 13 de maio de 2013

Até já!

Vai haver sempre alguma coisa a separar-vos, a dar sinal que um de vocês tem de ir embora ou alguma coisa que impede o vosso encontro, seja a campainha da escola que põe fim aos 10 minutos mais interessantes e esperados do dia inteiro, o"não" da tua mãe a uma ida ao cinema ou a um simples passeio, o tempo que está mau, a chuva que cai, o teste que um de vocês vai ter amanhã ou assim. Vai haver sempre algo a relembrar-te que a despedida está perto, sejam as férias que estão quase a chegar, ou o dia de aulas que chegou ao fim, ou o fim de semana que se quer mostrar. Vai haver sempre um pequeno grande receio que chegue, finalmente, a hora da despedida, em que os vossos caminhos se separam, um medo estupidamente grande que te consome a ti, ao teu sorriso, à tua felicidade, à tua esperança e às tuas energias positivas. É o medo de ficares sozinha, de não teres ninguém que te abrace, que te console e apoie como só ele sabe, é o medo de perceberes que não tens amigos, é o mesmo da mudança. Porque, de facto, quando algo está bem, tem de haver algo a estragar, algo a separar. A distância vai ser só mais uma prova, mais um desafio, um dos muitos que vocês terão de ultrapassar. Tenho a certeza que o adeus vai custar, que as ausências não vão ser fáceis, os pensamentos vão ser inevitáveis e as lágrimas incontroláveis. A idade nunca pareceu importar, mas agora que terás de o ver partir sem puderes fazer nada, porque ele tem de seguir o seu caminho, essa impotência faz-te ficar revoltada e com inveja por veres casais que têm tudo facilitado, mas não aproveitam, parece injusto não parece? Ver casais da mesma idade, do mesmo ano, da mesma turma; a partilharem a mesa nas aulas, a irem a visitas de estudo juntos, a fazerem os tpcs em conjunto, a estudarem lado a lado... E tu a tentares conter as lágrimas e a todo o custo tentares preparar-te para veres o teu namorado a dizer-te adeus por uma semana, longe de ti, com uma vida totalmente diferente da tua. E o que mais revolta não é saber que os outros têm essas oportunidades, mas sim vê-los a desperdiçarem-nas. O tempo passa e o teu coração acelera. Mas sabes? Vocês já passaram por tanto, são tão fortes. Ninguém disse que ia ser fácil mas vocês continuam a lutar, continuam a tentar e a esforçarem-se.
...

Apesar de ter medo, sei que somos fortes e que podemos ultrapassar qualquer coisa, basta acreditarmos.
AMO-TE! 
mj.


Sem comentários:

Enviar um comentário